[Artigo] Nano Server, uma nova opção de instalação do Windows Server 2016

Bom dia!

Quando iniciei na comunidade técnica Microsoft, em 2008, comecei abordando sobre a nova opção de instalação do Windows Server 2008, o Server Core. Então, para não perder o costume, em meu retorno aos artigos técnicos, irei falar um pouco sobre a nova opção de instalação do Windows Server 2016, o Nano Server.

O Nano Server, como já adiantei acima, é uma nova opção de instalação do Windows Server 2016 e, como se trata somente de uma opção de instalação, seu licenciamento já está incluso quando se adquire o Windows Server 2016. Não precisa pagar mais nada!

Segundo a Microsoft, o “Nano Server é um sistema operacional de servidor, para ser remotamente administrado, otimizado para nuvens privadas e datacenters. Ele é similar ao Server Core, porém muito menor, não oferece logon local e suporta somente agentes, ferramentas e aplicações 64-bits. Ele utiliza muito pouco espaço em disco, é significativamente rápido para se configurar e requer muito menos atualizações e reinicializações que o Windows Server. Se precisar reiniciar, ele o faz muito rápido. O Nano Server está disponível nas edições Standard e Datacenter do Windows Server 2016.”.

Tipos de cenários ideais para o Nano Server:
– Como um host de “computação” para máquinas virtuais Hyper-V, em clusters ou não;
– Como um host para Scale-Out File Server;
– Como um DNS server;
– Como um web server, executando o Internet Information Services (IIS);
– Como um host para aplicações desenvolvidas utilizando padrões de aplicações em nuvem e sendo executado em um container ou em um sistema operacional convidado em uma máquina virtual.

O Nano Server, por se tratar de um sistema operacional leve para executar aplicações cloud-native, baseadas em containers e micro serviços, ou como um host de datacenter de custo efetivo, seguem abaixo algumas diferenças entre o Nano Server e o Server Core e o Windows Server completo:
– O Nano Server não oferece capacidade de logon local ou interface gráfica;
– Suporta somente agentes, ferramentas e aplicações 64-bits;
– Não pode ser um domain controller;
– Não suporta diretivas de grupo, porém pode-se usar o DSC para aplicar configurações em escala;
– Não pode ser usado como um servidor proxy, para acesso à Internet;
– NIC Teaming não é suportado (load balancing e failover e LBFO). Por enquanto, somente o switch-embedded teaming (SET) é suportado;
– System Center Configuration Manager e System Center Data Protection Manager não são suportados;
– Best Practices Analyzer (BPA) cmdlets e BPA integration com o Server Manager não são suportados;
– A versão do Windows PowerShell do Nano Server tem algumas diferenças importantes. Leia aqui (https://technet.microsoft.com/en-us/windows-server-docs/get-started/powershell-on-nano-server), para mais informações (em inglês);
– O Nano Server é suportado somente no modelo Current Branch for Business (CBB). Não foi lançado, no momento, o modelo Long-Term Servicing Branch (LTSB) para o Nano Server.

Para testar o Windows Server 2016, baixe a versão de testes (180 dias).

Para saber mais, clique aqui.

Obrigado e até o próximo artigo! 😉

Jorge Barata

One thought on “[Artigo] Nano Server, uma nova opção de instalação do Windows Server 2016

  1. Pingback: [Artigo] Métodos para Implantar o Nano Server (Passo-a-Passo) | Blog de Jorge Barata

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *