[Artigo] Nano Server, uma nova opção de instalação do Windows Server 2016

Bom dia!

Quando iniciei na comunidade técnica Microsoft, em 2008, comecei abordando sobre a nova opção de instalação do Windows Server 2008, o Server Core. Então, para não perder o costume, em meu retorno aos artigos técnicos, irei falar um pouco sobre a nova opção de instalação do Windows Server 2016, o Nano Server.

O Nano Server, como já adiantei acima, é uma nova opção de instalação do Windows Server 2016 e, como se trata somente de uma opção de instalação, seu licenciamento já está incluso quando se adquire o Windows Server 2016. Não precisa pagar mais nada!

Segundo a Microsoft, o “Nano Server é um sistema operacional de servidor, para ser remotamente administrado, otimizado para nuvens privadas e datacenters. Ele é similar ao Server Core, porém muito menor, não oferece logon local e suporta somente agentes, ferramentas e aplicações 64-bits. Ele utiliza muito pouco espaço em disco, é significativamente rápido para se configurar e requer muito menos atualizações e reinicializações que o Windows Server. Se precisar reiniciar, ele o faz muito rápido. O Nano Server está disponível nas edições Standard e Datacenter do Windows Server 2016.”.

Tipos de cenários ideais para o Nano Server:
– Como um host de “computação” para máquinas virtuais Hyper-V, em clusters ou não;
– Como um host para Scale-Out File Server;
– Como um DNS server;
– Como um web server, executando o Internet Information Services (IIS);
– Como um host para aplicações desenvolvidas utilizando padrões de aplicações em nuvem e sendo executado em um container ou em um sistema operacional convidado em uma máquina virtual.

O Nano Server, por se tratar de um sistema operacional leve para executar aplicações cloud-native, baseadas em containers e micro serviços, ou como um host de datacenter de custo efetivo, seguem abaixo algumas diferenças entre o Nano Server e o Server Core e o Windows Server completo:
– O Nano Server não oferece capacidade de logon local ou interface gráfica;
– Suporta somente agentes, ferramentas e aplicações 64-bits;
– Não pode ser um domain controller;
– Não suporta diretivas de grupo, porém pode-se usar o DSC para aplicar configurações em escala;
– Não pode ser usado como um servidor proxy, para acesso à Internet;
– NIC Teaming não é suportado (load balancing e failover e LBFO). Por enquanto, somente o switch-embedded teaming (SET) é suportado;
– System Center Configuration Manager e System Center Data Protection Manager não são suportados;
– Best Practices Analyzer (BPA) cmdlets e BPA integration com o Server Manager não são suportados;
– A versão do Windows PowerShell do Nano Server tem algumas diferenças importantes. Leia aqui (https://technet.microsoft.com/en-us/windows-server-docs/get-started/powershell-on-nano-server), para mais informações (em inglês);
– O Nano Server é suportado somente no modelo Current Branch for Business (CBB). Não foi lançado, no momento, o modelo Long-Term Servicing Branch (LTSB) para o Nano Server.

Para testar o Windows Server 2016, baixe a versão de testes (180 dias).

Para saber mais, clique aqui.

Obrigado e até o próximo artigo! 😉

Jorge Barata

[Artigo] Desired State Configuration (DSC)

Bom dia!

Este ano é o ano de dar mais vida ao meu blog. Dar mais vida com novos artigos técnicos! Segue abaixo o primeiro, pequeno mas interessante pra quem já utiliza o Windows PowerShell diariamente, seja no Windows Server, no Server Core ou o novo Nano Server.

Desired State Configuration (DSC)

O DSC nada mais é que uma nova plataforma de gerenciamento do Windows PowerShell, que permite implantar e gerenciar dados de configuração para serviços de software e gerenciar o ambiente em que esses serviços irão ser executados.

O DSC fornece um conjunto de extensões de linguagem do Windows PowerShell, novos cmdlets e recursos que se pode usar para especificar declarativamente como se quer que o ambiente de software seja configurado. Também fornece um meio de manter e gerenciar configurações já existentes.

Como exemplos de aplicações práticas do DSC, segue abaixo uma lista:

– Ativar e desativar funções e recursos;
– Gerenciar configurações de registro;
– Gerenciar arquivos e diretórios;
– Iniciar, parar e gerenciar processos e serviços;
– Gerenciar grupos e contas de usuários;
– Implantar novo software;
– Gerenciar variáveis de ambiente;
– Executar scripts do Windows PowerShell;
– Corrigir uma configuração que esteja dessincronizada em relação ao estado desejado;
– Descobrir o estado de configuração real em um nó específico.

Para saber mais sobre o DSC, clique na fonte abaixo:
https://msdn.microsoft.com/pt-br/powershell/dsc/overview

Forte abraço,

Jorge Barata

Adicionando Apps no Menu Iniciar no Windows Server 2012 R2 Preview

Olá Pessoal,

No Windows Server 2012 R2 Preview e, acho eu que no Windows 8.1, os aplicativos recém-instalados não aparecerão mais no menu Iniciar, por padrão. Você terá que colocar os que você quiser. Nada mais justo!

Segue abaixo uma dica muito simples!

Continue reading

Windows Server 2012 R2 Preview – Primeiras Impressões

Olá Pessoal!

Este pequeno post é sobre minhas primeiras impressões ao instalar e utilizar um pouco o Windows Server 2012 R2 Preview.

Eu utilizei uma imagem ISO, que você pode baixar aqui. A instalação foi realizada em uma VM no Hyper-V do Windows 8 com um hardware mínimo (CPU 1 core, 2Gb RAM, HD 50GB dinâmico).

Continue reading

Artigo #11 – Configurando o Home Folder via GPO no Windows Server 2012

Olá e seja bem vindo(a) a mais um artigo da Campanha Windows Server League!

Quando trabalhamos com arquivos de usuários, lembramos que realizar o backup dos documentos individuais é uma tarefa trabalhosa e até estressante, principalmente quando há a perda de dados (independente de quem seja a culpa) importantes, que não estão no servidor de arquivos, e não os temos no backup. Um modo interessante e funcional é configurar o recurso Shadow Copies nas estações, mas demanda trabalho e orientação. Outro modo é criar uma pasta compartilhada no servidor de arquivos, configurar as permissões (compartilhamento e segurança) e criar um mapeamento, através de scripts ou GPO, para a área de trabalho do usuário. Existe, também, o perfil ambulante, mas dependendo da quantidade de arquivos, pode gerar gargalos na rede. Outro modo muito interessante é a utilização do recurso Home Folder, que explicarei como configurar através de GPO neste artigo.

Continue reading

Artigo #10: Instalando a Função AD CS no Windows Server 2012

Olá e seja bem vindo(a) a mais um artigo da Campanha Windows Server League.

O Artigo 10 abordará sobre como realizar a instalação de uma autoridade certificadora na empresa através da função AD CS (Active Directory Certificate Services) presente no Windows Server 2012.

Continue reading

Artigo #9: Migrando a Função DHCP do Windows Server 2008 R2 para o Windows Server 2012

Olá,

Seja bem-vindo(a) ao artigo 09 da Campanha Windows Server League em que aprenderemos, de modo rápido e simples, a migrar a função (escopos, reservas, etc.)DHCP de um controlador de domínio Windows Server 2008 R2 para o Windows Server 2012.

Continue reading

Artigo #8 – Restringindo a Execução do Regedit.exe com o AppLocker

Olá,

Neste artigo, vamos aprender a restringir a execução do Regedit.exe em computadores de usuários comuns.

O primeiro passo é identificar a utilização do executável/aplicativo através da auditoria (fazer um inventário), e depois, configurar o bloqueio através de outra GPO. Esse procedimento pode ser aplicado a todos os cenários.

Continue reading

Artigo #7: Resolvendo Falha no Failover Cluster Manager depois de Atualizar o Windows Server 2012

Olá,

Bem vindos a mais um post do Windows Server League. Hoje irei abordar sobre uma atualização que foi lançada em Janeiro/13, 2750149, que faz com que a console do Failover Cluster Manager pare de funcionar.

Continue reading