[Artigo] Quero usar o Hyper-V, mas não sei se meu PC suporta. Como eu descubro?

Bom dia!

O Hyper-V foi introduzido com o Windows Server 2008 e o Windows 8, pra quem se lembra, e hoje em dia, muita gente ainda não sabe de sua existência e, mesmo sabendo e usando o Windows 10, fica utilizando ferramentas de terceiros (muitas vezes pirateado), talvez por gosto mesmo ou por não saber se seu PC suporta.

Se você deseja usar o Hyper-V, esse artigo vai te interessar!

Primeiramente, você deve saber quais são os requisitos de software e hardware para executar o Hyper-V no seu PC ou laptop:

  • O Hyper-V só está disponível nas edições Windows Professional, Enterprise e Education do Windows 8 e superior;
  • Ele exige um sistema de 64 bits com SLAT (Tradução de Endereços de Segundo Nível). O SLAT é uma tecnologia presente na geração atual de processadores de 64 bits Intel e AMD. Você também precisará de uma versão de 64 bits do Windows. Com isso, o Hyper-V oferecerá suporte a sistemas operacionais de 32 e 64 bits dentro das máquinas virtuais;
  • Suporte da CPU para a Extensão do Modo de Monitor de VM (VT-c em CPU Intel);
  • Dependendo de quantas VMs você irá usar no Hyper-V, o seu PC deverá ter, no mínimo, 4GB de memória RAM. Mais VMs, mais memória!

Mas, o que é SLAT? SLAT (Second Level Address Translation) ou Tradução de Endereços de Segundo Nível é uma tecnologia introduzida em ambos os processadores Intel e AMD. Ambas as empresas chamam a sua versão da tecnologia com nomes diferentes. A versão da Intel é chamada de EPT (Extended Page Tables) e a AMD chama de RVI (Rapid Virtualization Indexing). A Intel introduziu a tecnologia Extended Page Tables (ou Tabelas de Páginas Extendidas) em seus processadores que foram construídos na arquitetura Nehalem (lançado em 2008), enquanto que a AMD só introduziu a RVI (Indexação de Virtualização Rápida) em sua terceira geração de processadores Opteron de codinome Barcelona. O Hyper-V usa essa tecnologia para executar mais funções de gerenciamento de memória da VM e reduzir a sobrecarga de traduzir/converter endereços físicos de convidados para endereços físicos reais. Fazendo isso, o tempo de CPU do Hypervisor é significativamente reduzido, e mais memória é salva para cada VM.

Agora que você já sabe dos requisitos, vou abordar alguns modos de verificar se seu PC suporta, ou não, o Hyper-V.

Para saber se seu processador possui tecnologia de virtualização:

Como o meu laptop é Intel, segue abaixo um print da ferramenta:

Agora, vamos usar o utilitário gráfico msinfo32, para fazer a verificação:

  • Abra o Executar (Win + r) e digite msinfo32;
  • Na tela Sumário do Sistema, desça até aparecerem as quatro informações, referentes ao Hyper-V:
    • Extensão de modo de monitor VM;
    • Virtualização habilitada no firmware;
    • Conversão de endereços de segundo nível;
    • Prevenção de execução de dados disponível.
  • Se todas estiverem com SIM, ótimo! Se algum item retornar NÂO, verifique os requisitos listados neste artigo e faça os ajustes quando possível.
  • Observação: Se aparecer a informação: Hyper-V Requirements: A hypervisor has been detected. Features required for Hyper-V are not be displayed, isso quer dizer que o Hyper-V já está habilitado no host.

Outro modo de saber é através do comando systeminfo, que trás as mesmas informações do msinfo32, só que em modo texto:

  • Abra o Prompt de Comando, ou o Windows PowerShell, e digite o comando systeminfo. Ele retornará as mesmas informações do modo anterior.

Por último, e não menos importante, tem a ferramenta da Sysinternals, o coreinfo, que vai informar se o processador suporta o SLAT:

  • Você baixa e extrai para o drive C, por exemplo;
  • Abre o Prompt, com privilégios administrativos, vai até o local e digita:
    • coreinfo.exe -v (-v: verifica se o processador suporta o SLAT).

Bem, por hoje é só. Espero que tenha ajudado!

Forte abraço,

Jorge Barata

Artigo #11 – Configurando o Home Folder via GPO no Windows Server 2012

Olá e seja bem vindo(a) a mais um artigo da Campanha Windows Server League!

Quando trabalhamos com arquivos de usuários, lembramos que realizar o backup dos documentos individuais é uma tarefa trabalhosa e até estressante, principalmente quando há a perda de dados (independente de quem seja a culpa) importantes, que não estão no servidor de arquivos, e não os temos no backup. Um modo interessante e funcional é configurar o recurso Shadow Copies nas estações, mas demanda trabalho e orientação. Outro modo é criar uma pasta compartilhada no servidor de arquivos, configurar as permissões (compartilhamento e segurança) e criar um mapeamento, através de scripts ou GPO, para a área de trabalho do usuário. Existe, também, o perfil ambulante, mas dependendo da quantidade de arquivos, pode gerar gargalos na rede. Outro modo muito interessante é a utilização do recurso Home Folder, que explicarei como configurar através de GPO neste artigo.

Continue reading

Artigo #10: Instalando a Função AD CS no Windows Server 2012

Olá e seja bem vindo(a) a mais um artigo da Campanha Windows Server League.

O Artigo 10 abordará sobre como realizar a instalação de uma autoridade certificadora na empresa através da função AD CS (Active Directory Certificate Services) presente no Windows Server 2012.

Continue reading

Artigo #9: Migrando a Função DHCP do Windows Server 2008 R2 para o Windows Server 2012

Olá,

Seja bem-vindo(a) ao artigo 09 da Campanha Windows Server League em que aprenderemos, de modo rápido e simples, a migrar a função (escopos, reservas, etc.)DHCP de um controlador de domínio Windows Server 2008 R2 para o Windows Server 2012.

Continue reading

Artigo #8 – Restringindo a Execução do Regedit.exe com o AppLocker

Olá,

Neste artigo, vamos aprender a restringir a execução do Regedit.exe em computadores de usuários comuns.

O primeiro passo é identificar a utilização do executável/aplicativo através da auditoria (fazer um inventário), e depois, configurar o bloqueio através de outra GPO. Esse procedimento pode ser aplicado a todos os cenários.

Continue reading

Artigo #7: Resolvendo Falha no Failover Cluster Manager depois de Atualizar o Windows Server 2012

Olá,

Bem vindos a mais um post do Windows Server League. Hoje irei abordar sobre uma atualização que foi lançada em Janeiro/13, 2750149, que faz com que a console do Failover Cluster Manager pare de funcionar.

Continue reading

Artigo #6 – Implementando Data Deduplication com o Windows Server 2012

1 – Introdução

O recurso desduplicação de dados foi implementado nativamente no Windows Server 2012 e é bastante versátil em ambientes de TI.

A desduplicação pode ser utilizada em servidores de arquivos, backup, repositórios de logs de aplicativos e sistemas e muito mais.

Neste artigo, você vai aprender como utilizar o recurso desduplicação de dados do Windows Server 2012.

Continue reading

Artigo #5 – Clonando Controladores de Domínio Virtuais com o Windows Server 2012

1 – Introdução

Há alguns tempo atrás, ministrei um webcast sobre as novidades do Active Directory no Windows Server 2012 e expliquei que, em versões anteriores do Windows Server, não era possível (e até perigoso) restaurar snapshots ou realizar cópias, correndo o risco de provocar reversões do USN resultando em SIDs duplicados. Falei, também, que o Windows Server 2012 foi lançado com suporte a todos estes recursos, inclusive podendo-se clonar controladores de domínio virtuais e o que torna isso possível é um driver chamado Microsoft Hyper-V Generation Counter (vmgencounter.sys) presente no Hyper-V 3.0.

Este artigo abordará como clonar controladores de domínio virtuais com o Windows Server 2012.

Continue reading